terça-feira, 8 de janeiro de 2008

34 anos depois do golpe, Sócrates está optimista naturalmente.

Eu farto de farsantes, com a devida vénia ao Nero, que com grupos, grupelhos e grupinhos, apesar de muita gente honesta e decente, fizeram da Direita portuguesa um antro de pseudo líderes, aberrações várias e impotentes, arrivistas e oportunistas. Uma cena digna de bas fond onde nem criminosos parece faltarem. Os Portugueses mereciam e merecem de certeza mais do que este espectáculo digno do lixo das ruas de Nápoles. Gente que se fez gente, ou por tal se pretende passar, à custa de pergaminhos de luta que nunca se viram ou tiveram resultados, enterrou o País, passeia por aí, por aqui e entregou Portugal a quem o tem desgovernado. Dói ler a justeza e a lucidez em gente de esquerda como António Barreto enquanto os "nossos" líderes de coisa nenhuma lutam pela presidência da fanfarra da terra. Tenham vergonha e apontem:
" O primeiro ministro Sócrates é a mais séria ameaça contra a Liberdade, contra a autonomia das iniciativas privadas e contra a independência pessoal que Portugal conheceu nas últimas três décadas. (...) Tão inquietante quanto esta tendência insaciável para o despotismo e a concentração de poder é a falta de reacção dos cidadãos. A passividade de tanta gente. " Público de 6 de Janeiro de 2008.
Pelo meio, para lá da Propaganda do engenheiro, os números. A taxa de desemprego no País aumentou 29% em 3 anos. Desempregados serão 500.000. Vejam o que se passa na Saúde. Ou na Justiça. Ou no Ensino. Os postos de trabalho extintos estão em crescimento. Continuem a brincar aos " nacionalistas " de coisa nenhuma. E tenham medo. Já o disse aqui o PR, em tempos. Disse-o também António Barreto no domingo: " só se for medo ". Deverá ser, porque cobardes também não faltam.

5 comentários:

A.(N.)A. disse...

Em 1930, Gil Robles, afirmou:
a cobardia da direita permitiu que aqueles que provêm dos poços negros da iniquidade assumam o controlo dos destinos da Pátria Mãe.

Saudações Nacionalistas.

Nero disse...

O crepúsculo dos deuses do mundo burguês, chegou!, apetece dizer repetindo Bebel a partir de Rosa Luxemburg.
Precisamos de uma Direita que seja primeiramente uma força Ética e Moral.
A opção é irónicamente citando Engels, o "retorno da barbárie" sob o rosto do Capital ou do marxismo, bacilos do sionismo judaico.
Será talvez altura, para pegar em R. L. outra vez, de "pegar no gládio para o combate".
Não tenhamos dúvidas: o inimigo mora sempre e primeiro no meio de nós.


Cumprimentos.

Bernardo Kolbl disse...

Estivesse aqui o PR, Saavedra, e diria lapidar.
A ausência na caixa de comentários de alguns desses iluminados muito maus que ladram muito mas só ferram pela calada e ao argumento e ao combate preferem o golpe baixo, a traição ou o insulto, diz muito do pouco que valem.
Abraço.
Presente!

PintoRibeiro disse...

Lapidar, lapidar, Camaradas.

Beltenebros disse...

Algo nesta caixa que vale a pena ler. Muito bom.