sábado, 22 de dezembro de 2007

2007, porque existem sempre,

bem ou mal, momentos. Paragens. O repensar de olhares, emoções, tristezas, sorrisos. Nacos, instantes. A memória. Esse acumular lento dos dias em que nos vamos fazendo e desfazendo. Com eles, postes que podiam ser bonitos e amaciar o desconforto de tantos face a blogues que, sendo de Direita, perturbam a tolerância do políticamente correcto e são necessáriamente de evitar numa blogosfera que reflecte a hipocrisia do País e é crescentemente uma coisa assim cor-de-rosa pindérica com travos porno arty, erótico- poetada. Podia, assim, escrever. Sobre a poesia sónica assombrosa dos Burial, telas claustrofóbicas, mesmo quando as canções com que fiz as minhas horas mais íntimas são dos Beirut ou dos National. Ou de como sorri com Amy Winehouse e detestei Panda Bear. Como me desiludi com os Arcade Fire e ainda não percebi os Klaxons. Tão perfeito como Untrue na sombra espectral das solidões povoadas de fantasmas, Paranoid Park. Mesmo quando o ano foi Cartas de Iwo Jima, Clint Eastwood, mas também e simbólicamente o fim do Cinema como o soube e amei. Aí, na morte de Bergman e Antonioni que o é, também, o da morte de um tempo. Os livros que li, ou reli. Orlando Furioso mas também as Metamorfoses de Ovidio. Sobre o ano em que chegou, por fim, Camille Paglia e Zizek. Em que descobri as telas de João Queiroz. Só que nada disto realmente conta. Como os anos e os balanços. Na ceia de Natal temos mesmo é 40% no limiar da pobreza só no distrito do Porto. 20%, dizem eles, abaixo do limiar, no País. A Crise que no autismo do engenheiro não existe. O trabalho precário e o desemprego crescentes, os lucros da banca e a riqueza ostentatória dos segmentos das classes altas, votantes nos projectos da dita Esquerda caviar. A implosão dos direitos sociais e laborais. A falência hilariante e trágica dos sistemas judicial, de saúde e do ensino. A ofensiva contra a Família, a Igreja ou as liberdades de expressão e organização. A bancarrota anedótica do sistema parlamentar burguês. O poder dos lobbies. Gays, mações ou outros. A corrupção. A criminalidade. O medo. Tenham medo. Vai piorar. Mas sorria sempre porque cada vez mais serão filmados. E controlados e programados e disciplinados. Em nome da puta da Democracia deles. Um Santo Natal Camaradas. Beijos e abraços.

16 comentários:

martelo disse...

um bom natal direito e esquerdo

Diogo disse...

Para os mais distraídos, não parece, mas por acaso o que se celebra é o nascimento de Cristo.

Um abraço e bom Natal.

hfm disse...

Para vocês um bom Natal e o melhor para 2008.

Alien8 disse...

Uma boa análise, PR. Não concordo com tudo, mas com muito do que disseste.

Um bom Natal para ti, para a tua família, para a boa gente deste blog.

Abraços.

Nero disse...

Para que fique claro:



Eu não pertenço ao Suck, embora conheça membros do Suck.
O meu blogue foi criado por motivos particulares, que desconheço, para defender alguêm na net, pela Sónia Ribeiro. Posteriormente passou para o Bernardo de quem o recebi já faz uns meses. Tudo o resto é ruído.
O meu nome é Saavedra.


Passando ao post.
Se mais fosse preciso bastava ir acompanhando a novela no BCP. Com ela, tudo o que de obscuro deixa ver sobre as teias onde se move o País. O ataque aos pequenos partidos e a procura de identificação, de dados, sobre quem os constitui.
A ascensão não menos fulgurante de obscuras figuras, quase sempre ligadas ao Capital. A ler, por exemplo, ontem no Sol, a reportagem sobre o Granadeiro.
Ou ligar o Zemal Bava aos seus padrinhos poderosos e inquietantes. Conhecidos de muitos que se calam.
A petulância de Ferro Rodrigues ouvido em Monsanto por causa da Casa Pia.
Só não vê quem quer.

A República morreu.


Cumprimentos.

LiliS disse...

CAMARADAS...
HAJA NATAL!!!

Boas Festas...

o meu canto (blog) encheu-se de luz... ou não! ihihih...


beijão a todos

a voz disse...

Votos de Feliz Natal.
Cumprimentos.

Thoth disse...

Quem tem medo da verdade?

Cumprimentos e um bom Natal.

as velas ardem ate ao fim disse...

Feliz Natal!

bjinhos grandes a todos

Eric Blair disse...

méri crista e muitos gingobéis

Su disse...

um feliz natal para os tres e que o ano novo seja melhor

jocas maradas e natalicias para os 3+1:)

Beltenebros disse...

Saudações Nacionalistas Camaradas.


Ao Nero.
Curioso é ninguém mesmo desmontar como se faz a ascensão de um mafioso das finanças como o Bava.
Pior. Como a Focus de trela bem afinada a colocar o "menino" perto da santidade. Mas existe um grupo intocável na banca. Se calhar porque um dos testas de ferro desse grupo estar tão ligado aos Serviços de Informação, onde deixou as sementes de uma carreira meteórica. E nem à mesa sabia comer. Enfim, como ele dizia, " pai, sou ministro ".

Vítor Ramalho disse...

O blogue Alma Pátria deseja a todos um FELIZ NATAL

Play Girl disse...

De longe o melhor texto que li num blog nos últimos tempos.
Concordo e discordo de muitas coisas. Como não podia deixar de ser. Espantei-me especialmente com a desilusão Arcade Fire... e partilho o sorriso para a Amy Winehouse (quem não partilha?!)... já os Klaxons são apenas mais uma The Next Big Thing, que provavelmente não vão passar do segundo disco.

Olha um bom ano para ti... que para feliz natal já vamos atrasados :)

Joaquim Santos disse...

Um Feliz Natal !

PintoRibeiro disse...

Ai, tão kidos...lololol.
Abraço aos Amigos e Camaradas.