sexta-feira, 10 de agosto de 2007

Notas do meu moleskine.


Dante: Que o temor te não cause dano. (...). Cala-te aí, lobo maldito e vai consumir-te dentro da tua ira ".



Torga. 100 anos. Num país onde se insiste em confundir a vulgaridade, se não mesmo a mediocridade, com o génio, lá vem o pilhar dos mortos. Torga deixou os Diários e os Bichos. O resto é dispensável. Mas percebe-se a veneração perante o Homem. Um vertebrado, um patriota, uma lucidez face às capelinhas da nossa kultura, uma postura firme, humilde e frontal que só podia resultar na bajulação daqueles que são tudo o que ele desprezou. Triste de quem morre neste recanto.



Timor. Xanana. Ainda. Sobre o " guerrelheiro " tirei conclusões aquando da sua prisão e postura heróica face aos indonésios. Nunca me comovi com a ocupação. Não me surprende a evolução. Golpe de estado, afastada a Fretilin, demonizada a Indonésia, ( como ontem Portugal ), esse triste país acaba de ser finalmente entregue aos interesses da Austrália. Colonialismo era o nosso. Lapidar. Como o Petróleo. E a traição. Velha, como a espécie.



Esclarecimento. Já cansa o epíteto de nazi, que não me incomoda se souberem do que falam. Eu, claro. Assim como assim, de forma breve. O nacional-socialismo, encaro-o acima de tudo como uma falhada revolução espiritual. Mais do que ideológica ou social. Para quem sabe ou conhece: essa revolução terminou em 1934, com a morte de Rohm e a ascensão do grande capital burguês e conservador alemão ao poder, ao lado de Hitler. Com a vitória de Krieck, Rosenberg e Rudolf Hess face a Strasser, Heidegger ou Evola, por exemplo. Que nada me dizem. Os primeiros, claro.


Bom fim de semana. Por cá estão os Sonic Youth.

9 comentários:

contradicoes disse...

Concordo inteiramente com a visão sobre Timor, que aliás Portugal como país colonizador de outros territórios teve exactamente o mesmo procedimento. Depois de ter sido o último a descolonizar, fê-lo da pior forma e estupidamente a neo-colonização sobretudo de Angola aquele que mais riqueza dispõe, está a ser levada a efeito por outros países. Triste sina à nossa possuirmos a classe política mais imbecil que deve existir à face da terra. Um abraço com votos de excelente fim de semana
Raul

MEU DOCE AMOR disse...

Confundir a vulgaridade,mediocridade com génio.Realmente...cada vez mais.Somos um país de génios.Nem na altura da Expansão Portuguesa...imaginem se naquela altura houvesse os génios de hoje...

Velha...

Porque falhda?E porque revolução espiritual?

Vou mas é para o Tassili.Sabes se há lá algum oásis perto?

Beijinho doce e bom fim de semana que já é amanhã:)

hfm disse...

Triste, realmente, de quem morre neste recanto.

Torga é uma coluna vertebral. Do antes quebrar que torcer. Penso que bem merece a homenagem pois a sua escrita é vigorosa, interior, sentida, plena e nunca recorrendo a rodriguinhos ou a contemplações. A poesia, muito própria, se não de primeira água, duma água que eu gostaria de ter bebido.

Um grande abraço e bom fim de semana.

Susana Barbosa disse...

Claro. Tens bons gostos musicais Sérgio!

Bom fim de semana e um abraço a todos.

Alien8 disse...

Bom fim de semana, PR.

Um abraço.

Thunder disse...

Estou de férias, por isso um pouco ausente nos comentários.
Bom fim-de-semana.

Su disse...

jocas maradas....sempre

Santos R. Queiroz disse...

A vulgaridade e a mediocridade confundidas com o génio têm três propósitos, nesta Sociedade: primo, serem perdoadas e até louvadas, secundo, ter o génio, a superioridade como incidentes de percurso, nunca como guias, e tertio, fazer delas caminho para o sucesso de muitas clientelas, de muitas bagatelas, que nada constróem que não mereça a destruição. Triste de quem morre neste recanto e triste de quem foi obrigado a viver num recanto, ou melhor, neste "cantinho" que nos impuseram.

Velhíssima, ainda para mais quando abandonou quem nunca quis independências.

Amigo, isso de nos chamarem fascistas e nazis é a arma de arremesso deles. Mesmo que não o sejamos. Mas que se podia esperar... a Constituição é sinistra (no sentido latino), e má é a vida e grandes são os pecados dos que perdem a guerra.

Cumprimentos.

Lilis disse...

Confesso...não sou "fã" de Torga...

:)