domingo, 19 de agosto de 2007

(Re)pegando em Kaczynski

apetece insistir: a esquerda sofre de um profundo sentimento de inferioridade. A arte que produz e admira, ( sórdida, obscena, entre a derrota, o desespero e o orgíaco ), prova-o. Como também uma intolerável e pretensa arrogância moral. Como também a agressividade do discurso politicamente correcto e a abordagem dogmática ideológica. Assim, os clichés habituais num discurso pretensamente subversivo, ( ou, como na moda, fracturante ). Racismo, sexismo, direito das mulheres, homofobia e direitos dos paneleiros, ódio à Família e preocupação com os animais, o genocídio, o não ao tabaco ( que não às drogas ) e às bolas de berlim. No limite o ódio à individualidade, a veneração pela massificação e o desejo de uma uniformização do pensamento e do tecido social. O higienismo. E uma vontade absoluta de Poder de mãos dadas com o colapso necessário do sistema educativo. Depois, a duplicidade de critérios a explicarem Chávez e Fidel, por exemplo. Ou os deputados europeus do Partido Socialista a tudo fazerem para trazer para Portugal organizações terroristas de modelo stalinista/maoísta iranianas que combatem de forma criminosa a República Islâmica do Irão. Discretamente, claro, sem grandes alardes. Tudo isto a propósito de uma semana em que Louçã abriu a boca para desmentir o óbvio. A colagem ao PS. Do mal o menos: na agenda prefigura-se a implosão do Bloco. Mas a semana fica ainda marcada pelos desejos do Zé. Inspirado provávelmente no Martim Moniz, quer resolver os problemas financeiros da C. M. Lisboa com a produção e comercialização de azeite e ameijoas lisboetas. Lapidar, vindo de quem vem. Do ridículo se faz este país. E a nossa esquerda. Assim, ontem, no Sol, uma tal Inês de Medeiros: segundo esta brilhante intelectual de esquerda a Cultura, para a Direita, resume-se a fado e touradas. Sem o tal " complexo cultural " de que ela me acusa só posso responder que não gosto de ambos e acho a senhora burra. Ou imbecil. Mesmo desconhecendo quem é a dita iluminada que não gosta de ouvir que os " agentes culturais são subsiodependentes ", ( ora bem, pois ), e que acha que na Direita é cada um por si e a esquerda tem a noção de Progresso, sem explicar o que entende por tal. Da realidade e do país real, certamente não tem mesmo nenhuma ideia. Nem dos problemas concretos da maioria da nossa população, a que não cabe nas novas " élites " da classe média-alta, nova rica, acoitada na esquerda e nos novos tentáculos dos interesses. Pois. Caviar chic. Valha-nos que a Senhora se identifica com o PS, a vanguarda mais feroz do grande Capital liberal em Portugal e titular de um Governo que tem sabido demonstrar o quanto despreza o Trabalho e os Trabalhadores. Pois. Redundâncias. Várias. Citando, uma verdadeira telenovela venezuelana onde nem falta o Professor Marcelo, da outra " direita ", vir recomendar que em nome do Capital não se critique a política de imigração porque, graças aos números da Segurança Social, só podem assim ser xenófobos. Os críticos. Lapidar, outra vez. O Bloco não diria melhor. Ainda dizem que Agosto desculpa tudo. Ora bem. ( A visitar, este e este ).

21 comentários:

Arrebenta disse...

Ando há meses a tentar saber o que era feito deles!... :-)

wind disse...

Não sou de caviar chique nem do Ps, mas não concordo em nada com este teu post, nem tudo é tão linear assim.
Mas isso já é costume:)
Beijos para os 3*

Flávio Gonçalves disse...

"Ou os deputados europeus do Partido Socialista a tudo fazerem para trazer para Portugal organizações terroristas de modelo stalinista/maoísta iranianas que combatem de forma criminosa a República Islâmica do Irão."

Pior ainda quando foram eleitos supostamente para representarem os direitos do povo português e acabam a servir interesses estrangeiros que não beneficiam absolutamente ninguém, nem o próprio partido deles.

Quanto a Estaline e a Mao, creio que não se reveriam em tal seita, mas tenho uma visão um tanto ou quanto poética de Mao Tse Tsung e de quando em vez questiono-me se Portugal não necessitará de uma boa purga à lá Estaline...

Creio que todos teremos dias assim =)

MEU DOCE AMOR disse...

Só isto?

Hummm....

PR venho ler mais logo.Só para deixar um beijinho doce e um bom Domingo.Eu sei que tenho que escrever:))))talvez logo TÁ?

Beijocas

Su disse...

a correr..deixando jocas maradas para os 3............sempre

vida de vidro disse...

Alguma esquerda generaliza e, na verdade, tu também. O certo é que existe de tudo, num lado e noutro. Se a cultura, para a direita, não se resume a fado e touradas, o que é facto é que existe muito quem se assuma de direita e tenha esses "ideais". E vice-versa, relativamente ao que dizes da esquerda.
Enfim, hoje era mesmo só para desejar bom domingo. **

PintoRibeiro disse...

Que não é linear sei eu. Parece é que eles o não sabem. Há que ler por entre linhas e bílis. Do mal o menos. Os lampiões viraram mesmo pinks.

PintoRibeiro disse...

( Será mesmo generalizar? Ou este é o pensamento institivo da esquerda? ).

as velas ardem ate ao fim disse...

Infelizmente as ideias preconcebidas da esquerda bolorenta...
Nada a dizer de tanto disparate dito por essa gente.

bjos

contradicoes disse...

A política do troca o passo
é a que existe em Portugal
faz-me muito estardalhaço
mas já ninguém leva a mal

Um abraço do Raul

sonia r. disse...

A estupidez redundante da nossa socialite intelectual.
Mas de Fidel ninguêm falou.
Bjinho.

Nero disse...

O Unabomber citado sabe do que fala. É anarquista.
Cumprimentos Nacionalistas.

MEU DOCE AMOR disse...

Um beijinho e bom dia e boa semana.

Beijocas....trabalhando:)

PintoRibeiro disse...

De nós ou de quem Arrebenta?
Lololol...és um brincalhão...

MEU DOCE AMOR disse...

Tá um grande vento...mas em Agosto?Como desculpar?

Beijinho doce...entrei a 200:)

E vou saindo...

MEU DOCE AMOR disse...

PR: já tá.

:))))

kurika disse...

Bjinhos a todos.

Boa semana

Flávio Gonçalves disse...

Pormenor: tem graça que os comunistas consideram os anarquistas como sendo de direira, embora a maior parte destes se posicione na esquerda ou "além da esquerda e da direita", como muito bem realçou a revista anarquista portuguesa "Utopia".

O eco-anarquismo, pelo menos o da revista "Green Anarchy", é pós-esquerdista e critica severamente a esquerda, o Unabomber é a sua principal referência.

O detalhe mais interessante, é que a primeira publicação eco-anarquista - que é uma ideologia relativamente jovem - que dava pelo nome de "Green Anarchist" deu origem ao Nacional-Anarquismo, o eco-anarquismo deu lugar ao Nacional-Anarquismo.

Creio que é altura de eu escrever um pequeno texto acerca do Nacional-Anarquismo, a ver se blogo hoje.

Flávio Gonçalves disse...

Já bloguei =) podeis criticar e debater.

Su disse...

hoje andei pelos blogs por indicados.......


jocas maradas...sempre

Alien8 disse...

Boa noite e um abraço, PR.

Que é feito do Bernardo? Saíu do blogue? Ou são só férias? OU ambas as coisas?