domingo, 9 de setembro de 2007

E porque hoje faz anos que morreu o Kamarada Mao,


o qual, assim como assim, ainda fez algo de magistral e saudoso, a Revolução Cultural, ( e eu sou dos que quando ouço falar de cultura e intelectuais tenho vontade de sacar a dita ), um par de desabafos a abrir a semana. Não, da fuga anunciada dos pais da Maddie, nem falo. Fossem portugueses. Ridicularizada, ao limite, a já descredibilizada Polícia e Justiça portuguesas. Ponto final. ( Terá algo a dizer-nos o Ministro dos Negócios Estrangeiros? ). Como não falo da Selecção dita " nacional", orientada por um brasileiro medíocre, cretino, arrogante, mal criado, chamado Iscolari, que para lá dos milhões que ganha e lhe pagamos para pouco mais serve do que ter inventado um guarda redes chamado Ricardo. Não gosto muito de futebol, não aprecio o dito e não me revejo naquele rancho multicultural. No mínimo, ontem, esperava que esse produto rasca do marketing e ídolo mi(s)tificado de tantos dos nossos jovens fosse expulso do grupo face ao seu repetido comportamento enquanto pessoa e homem. O tal de Ronaldo. Mas vendo bem, apesar de na Alemanha, por exemplo, se ser expulso de vez da Selecção por muito menos, por cá cabe tudo, dos Decos aos Pepes, com os Moutinhos e os Quaresmas no banco. Adiante, pois. Falar sim, apetece de Sócrates e do nojo crescente ao que olhamos em nosso redor. O fim macabro da civilização europeia, iniciado com a morte de Goethe e encerrado nas ruínas de 1945. Depois, apenas, esta nauseabunda sociedade democrática da (in)tolerância permissiva. Disse-o, e bem, ontem Radtzinger. O tal alemão que serviu Hitler mas teve o azar de não se ter convertido ao marxismo como o SS Grass. A (in)tolerância de quem recusa uma concepção glogal de Política de Vida nos seus diversos quadrantes. A (in)tolerância da recusa do espaço do Sagrado em nome do laicismo, de quem se preocupa com a pena de morte mas legaliza o aborto, dos que defendem os direitos dos paneleiros mas combate a Família, dos que defendem o direito à blasfémia e à ofensa da crença alheia, ao insulto, ( agora a Cristo por Priscilla Joyce Brack e os seus "Orientais Barbados", ontem a Maomé, no caso das caricaturas ), se consternam com a morte dos Theos mas proibem o direito ao uso do véu islâmico, que não da publicidade que coisifica e sexualiza enquanto objecto a Mulher, traficada Europa fora, dos que perseguem os fumadores e os comedores de alheiras mas não a Droga ou a Pornografia. A (in)tolerância deste sistema de capitalismo global liberal acolitado pelo discurso bem pensante da esquerda pós marxista, a que teme a Tradição, o Sangue e a Terra. O direito de opinião divergente, os valores e os princípios. O apogeu da hipocrisia. Face ao colapso da natalidade em Portugal, Sócrates, o legalizador e incentivador do Aborto, distribui Pc's e avança com demagógicas medidas avulsas que passa por mais creches, que a ser verdade, só irão servir os filhos da imigração e uns míseros tostões que não escondem o desemprego, o trabalho precário, os baixos salários, as despesas na escolaridade obrigatória. A natalidade resolve-se com outro sistema económico, com incentivos monetários poderosos, ( como já o faz a Alemanha, a Suécia ou a Dinamarca ) com a defesa da Família, de outro regime de Trabalho, de Saúde e de Ensino, com o efectivar dos direitos da Mulher enquanto pilar da Sociedade. O resto é mais do mesmo. E, quer a esquerda, quer o Capital, praticam de facto uma política que aposta contra tudo isto. Percebe-se a (in)tolerância da permissividade. Ainda melhor quando sabemos os valores que vão ser gastos na reconversão da Cova da Moura em "africantown" cultural. Haja decoro e vergonha. Ou, pelo menos, calem-se e fiquem pelas paradas gays. ( Curioso é passear na net e encontrar na dita extrema direita nacionalista lusa os meus argumentos pós modernos do Bloco contra o Islão. Coitado do Ibn Qassi. Será... porque será? Do espírito de Amsterdam gostam ambos, pois... ). Imagem do Kombate, na Austrália, tirada daqui.

19 comentários:

Anónimo disse...

foi nos principios básicos do "maoismo"que comecei a compreender os maleficios do maoismo...e foi ouvindo ás segundas pelas 7 da tarde a radio tirana que conheci a existencia de um ultra-nacionalismo social pelos trabalhadores nacionais em primeiro lugar (ou seja ...a preferencia nacional chegou-me através do mrpp)...depois... muita coisa se modificou e a evolução das ideias tomou o seu caminho e actualmente não acredito em "ismos" de especie alguma!a esquerda trau os seus principios e a direita sempre foi fiel aos seus ...pelo menos na defesa do poder (onde quer que ele se situe)sobretudo se se posicionar em opcções anti-sociais...quanto aos nacionalistas não sei...ainda não conheci pessoalmente nem um só real nacionalista em portugal...duvido mesmo que tal gente exista...auto-proclamados é o que mais abunda!!!!e pessoas de bem,contei as que conhecia,no universo politico nacional...dos que conheço contei 14 pessoas e não me englobo dentro desses parametros!quando se fala de organizações é que a coisa ainda se agrava mais...e na minha opinião quanto mais aumenta o numero de adeptos de uma estructura mais pobre ela fica(emtermos de pureza filosofica quero eu dizer)...o que resta?acção directa luta armada e pouco mais...sempre tendo em conta que gente inocente é algo que não existe...as crianças é claro mas apenas as crianças...e nem todas...hoje em dia (e cada vez mais)repugnam-me as ideologias...e a falta delas!repugnam-me as religiões ...e a ausencia de espiritualidade!enojam-me os intelectuais...e desprezo o seu contrário!quanto ao "grande timoneiro"foi grande (quando vemos a que chegou a cultura não podemos discordar de tudo o que implicou a sua revolução cultural)no entanto se tivesse que escolher uma personalidade de referencia para os grandes dirigentes asiáticos a minha escolha seria indiscutivelmente POL POT

assina:anti-sionista...os meus respeitos lá em casa sr.PR

PintoRibeiro disse...

A sua leitura da Direita é francamente pobre. Antisocial, para mim,é a Esquerda. Quanto ao Pol Pot, não conheço.
A minha casa aqui é só isto, o blogue, Anónimo. A vida privada fica fora dele.
Passe bem, volte com nome, de preferência.

PintoRibeiro disse...

( Do Mrpp pouco me lembro ou sei, exceptuando Durão Barroso a ROUBAR positivamente a/na faculdade de Direito. Ía mais pelo MIRN, na época, mas também acabei em Filosofia ).

PintoRibeiro disse...

Melhor: ASOCIAL. A esquerda, claro.

Alien8 disse...

Algumas observações agudíssimas, há que reconhecer.

Boa semana.
Um abraço.

contradicoes disse...

Aprecio esta abordagem
com muito sentido crítico
porque nos dá a real imagem
desde País que é um penico

Um abraço do Raul

as velas ardem ate ao fim disse...

Como não falo da Selecção dita " nacional", orientada por um brasileiro medíocre, cretino, arrogante, mal criado, chamado Iscolari, que para lá dos milhões que ganha e lhe pagamos para pouco mais serve do que ter inventado um guarda redes chamado Ricardo.

Plenamente de acordo.

quanto ao resto o país mete nojo.

bjinhos PR

Nero disse...

Eu também vou pelo Pol Pot.
Cumprimentos.

Flávio Gonçalves disse...

Eu ainda vou gostando mais do Mao Tse Tung... e um pouco o Ho Chi Minh...

A foto dos N-A, da manifestação que alguns me acusaram de ser mentiroso por divulgar =)

O Welf é da escola do NPD, o homem sabe fazer bem as coisas.

Santos R. Queiroz disse...

Artigo muito oportuno e coerente. Desde a crítica do futebol (que também pouco me alegrou, tirando nos tempos em que era uma questão de Pátria e não de dinheiro, a selecção), à da hipocrisia e incoerência das tolerãncias selectivas, tudo me agradou ler. E o velho Göring em algumas coisas acertava, sim senhor. Como quando deixou claro que grandes eram os pecados dos vencidos, mas que as virtudes dos vencedores eram dúbias. E quantas pistolas não fariam falta para certas culturas que por aí andam, afirmando-se sem existirem de facto...

Os meus parabéns, caro Pinto Ribeiro.

PintoRibeiro disse...

No NPD a Direita não tem tempo para brincar aos "alcapones" de pacotilha.
Por lá criminalidade é criminalidade e Política Revolucionária é Kombate.
Carecas mas com cérebro.
Sem pretos, judeus, brasileiros ou chineses...e muito menos a defesa dos interesses do Grande Capital.
Abraços.

PintoRibeiro disse...

( A quem parece andar aí nos moldes do costume, em círculos cobardes, mails & etc, a querer mais do mesmo e a "avisar" sobre nós, aplauso. Fazem bem. Eu nunca esqueço. Espero. O tempo que for necessário. Podem crer. Nada está esquecido, nada está encerrado. Espere-se, o tempo que for preciso ).
Abraços K'mrd

wind disse...

Muitas verdades "lapidares":)
beijos para os 3:)*

Teresa Durães disse...

PR:

desculpa a minha habitual falta de paciência para política. Ficam os beijos!

(onde está o outro blog? ando baralhada)

Su disse...

fiquei sem folego....mas gostei

O apogeu da hipocrisia


...tudo dito


jocas maradas

menestrel disse...

Camarada Pinto Ribeiro:

Antes de mais obrigado pela sua visita ao meu espaço, que me permitiu conhecer o seu trabalho e que desde já passo a estabelecer ligação (merecida).

De resto, não se esqueça, para além dos assaltos do presidentezinho desempoeirado da Comissão Europeia, das salvas de prata do sec XVIII que ele passeou debaixo do braço pela av de Berna quando invadiu a embaixada de Espanha, no 25 de Abril!!! E como ele, esse asno que dá pelo nome de M. Soares, a fortuna em obras de arte que ele deve ter nas belas caves de suas inúmeras residências!

Isso é que a polícia devia investigar!!!

Saudações.

Flávio Gonçalves disse...

Já andam a fazer queixinhas?

PintoRibeiro disse...

Não são esses Flávio. São os outros. Pois esses mesmo. Os identificados. Agora até um Pedro J. G.. Com morada e telefone, pois. Os "intelectuais da pulhentice", pois, esses velhos amigos, sentados ao som de um piano desconchavado. Não sabem é que na rasquice deles aquilo já só é uma marcha fúnebre. Zombies virtuais com caixão encomendado e entrega ao domicílio. Deixa-os poisar...lololol.
Abraços K'mrd.

Opintas/Bernardo Kolbl disse...

Outra vez anjos negros?
Caçadeiras...eheheheh...