sexta-feira, 16 de maio de 2008

Haja vergonha. Mais um momento triste e a vontade popular no saco. Abençoado parlamentarismo.


Ou ainda os complexos do colonizador, as cedências económicas e o multiculturalismo pindérico.
Como disse Hannah Arendt, a língua materna é a única referência segura que nos resta.
Será difícil de entender?

6 comentários:

Eric Blair disse...

de acordo, at last

Joao disse...

eu, como 99% dos portugueses, amo o Brasil!! Já lá fui, tenho família lá e admiro o país e as pessoas! Parte-se-me o coração só de pensar que devido a atitudes preconceituosas e de um nacionalismo bacoco de uma minoria, se estrague uma relação que demorou séculos a construir. Apelo a todos os portugueses que querem um Portugal aberto e moderno, um Portugal forte na Europa mas aberto ao mundo, um Portugal que não renega o seu passado a votarem na petição a favor do acordo ortográfico que se encontra na net. Todos juntos somos poucos para continuar o nosso sonho!

contradicoes disse...

Não faço a mínima intenção
deste acordo vir adoptar
pois me parece uma violação
da língua que veio para ficar

Um abraço do Raul

PintoRibeiro disse...

Ó cara João.
Só foste publicado para mostrar o paleio imbecil(izante) dos pró acordo. O sem acesso ao perfil diz com quem lido, quem és.
A mim parte-se-me o coração ao ver, sem nacionalismos, destruir a minha língua. Mesmo sendo nacionalista. Por mim até podiam ser 100%. Com naturalizados na selecção do Iscolari, meninas em Bragança e tudo.
Quem tem os teus argumentos ( e escrita ) nunca vai entender porque somos contra.
Mesmo recorrendo ao tãoooooo moderno e lapidar argumento do preconceito. Mata o passado para não teres futuro. Mas isso é muito complicado e exigente para ti, certamente.
Afinal, não por acaso o País está como está e o Sócrates teve a maioria. Aliás: aberto, está. E de que maneira, Portugal. Moderno, também. Os resultados conhecem-se.
Uma questão de cultura, também. Mas isso não percebes, de certeza.

morfose disse...

Lamentável.

MariaTuché disse...

Está assinado!!

PR, fabuloso a tua resposta ao Senhor João.

Beijosssssss