domingo, 11 de fevereiro de 2007

Mythos trágico, certamente. Mais do que actores de uma tragédia, figurantes menores de uma qualquer opereta menor. Nós, sem vestígio de pathos ou crença visionária, um longo e penoso estertor. Venha a Noite, pois, e com ela palavras de sangue e ódio. O fogo que queime, lembrando uma poetisa a que o tempo me roubou o nome, a paz das sardinheiras e tudo o que nunca voltou de Álcacer-Quibir. Este permanente estar prenhe do medo, da cobardia, da hipocrisia, da ignorância, este Povo que não ousa largar a manta de pobre e a névoa mais a bruma que, persistentes, o cegam. ( Couto Viana, penso ). O futuro, esse, como o disseram tantos poetas, foi-nos sempre atraiçoado. Resta ousar, resistir e insistir. Sempre. A Kombater.


(Posto isto, aponte-se, sorria e desespere. O labrego de boliqueime, aka Cavaco, quer leis contra o tabaco, a obesidade e a vida sedentária. Não, não é anedota mas demonstra a ideia do que é o Estado por cá. Ou do que não devia ser. Isto é imbecilidade pura do mais alto representante e magistrado da Nação. Explica um país que em tudo, ou quase, trata os seus cidadãos como atrasados mentais. Como com a imposição de dias de reflexão pré-eleitoral, o silenciar de opinião dos juízes, ou que institui a gritaria da pretalhada, o hip-hop, cultura urbana e, por causa, cria para o efeito uma associação nacional da coisa. Nada que surpreenda. Afinal, como também li ontem, Zapatero legislou sobre a massa corporal exigível às mulheres e o nosso pensamento dominante pouco ou nada parece ter-se incomodado. Com ou sem anorexia a "humilhação" das mulheres é uma questão de prisma. Políticamente correcto. Ou não ).

12 comentários:

sonia r. disse...

Parece cada vez mais difícil pegar neste País ou remar contra a maré. Como tu costumas dizer este Referendo é só um passo numa enorme batalha cultural. Bjinho.

wind disse...

Bom dia:)
Concordo contigo em quase tudo, menos na pretalhada e no hip hop:)
Não sou racista e até gosto de hip hop comogosto de outro estilo de música.
Do referendo não falo já.
De resto assino o que escreveste por baixo:)
beijos

poca disse...

a desilusão e a revolta contra tudo aquilo que queriamos que fosse e não é... mata-nos a vontade de acreditar...
eu, estou prenha de interrogações, e ávida de descobrir que ainda tenho capacidade de me atirar de cabeça..
beijinhos e bom fim de semana

Ana Luar disse...

Faço minhas as palavras da poca... e da Wind e Sonia R. e acrescento que infelizmente o homem abandonou as cavernas onde habitava, mas continua o mesmo ignorante... A destruição, e infelicidade, que se gera à sua volta é prova disso.

Opintas/Bernardo disse...

Devia estar aqui um comentário. A pessoa que o fez, A./Monga Lisa, pediu ao Sérgio que não o publicasse. Assim o farei por consideração apenas a ele. O pedido feito já por si diz muito sobre quem o faz. Uma fundadora deste blogue que não conheço nem com quem fiz pactos (?) alguns, mas de quem penso ter umas estranhas opiniões sobre lealdade, confiança ou amizade. A cena que armou por causa da entrada de outra colaboradora que não a Sónia no blogue foi elucidativa. Ou o querer sair do blogue oficialmente mantendo um nick. Neste blogue não sou da família de ninguem e sou administrador com autonomia para fazer o que me apetecer. A caixa de mail onde foi deixado o comentário é deste blogue e por isso posso também publicar ou não os comentários aqui deixados e nenhum de nós deve vassalagem ao Sérgio. Isto bem claro quero só dizer que não recebo recados, não gosto de carteiros nem faço fretes a ninguem. Gosto que me falem directamente. Também não temo fúrias, não gosto de ser pressionado nem sou intimidável. Aos que não gostam dos meus comentários deixo apenas a sugestão de fazerem como eu. Ignorem, não venham cá, apaguem-nos ou não os publiquem, por opção e não a pedido. O resto, minha senhora, são balelas. A vida real é lá fora realmente, mas anda aí muita merda a incomodar e a foder a vida alheia à conta desta coisa. Eu conheço casos bem concretos e dolorosos. Se calhar você também. O tempo o dirá. Fique descansada no seu canto que eu vou evitar o seu. Assim, de forma bem clara e frontal até por me enojarem certos canalhas, exacto, c.a.n.a.l.h.a.s., que frequentam o seu. Assunto encerrado, passe bem e sigamos a nossa vida.

Susana Barbosa disse...

... este país gira ao contrário, e pior, o povo deste país também!
boa noite, bjinhos

Eric Blair disse...

Ainda te vai dar um abc, pá; bê se tacalmas.
Abraço,
EB

Lilis disse...

Imbecis...todos nós...
hip-hop... odeio...
não sou racista... e não me importava de ser anorexica se fosse essa a minha vontade...
como dizia o outro: "o meu corpo é o meu templo... e eu comando-o como me apetece!"
Essa besta de Boliqueime...
A besta das bananas da Madeira...
A besta de Gondomar...
BLARGH... IDIOTAS...
O povo mediocre... eu própria sou mediocre... todos ignaros... parvos... numa espiral descendente... decadente!

posto isto,
beijos grandes e até logo!

Estou revoltada... pareço uma adolescente!
de mal com tudo e todos...

sea disse...

:D:D
A rir-me

(embora, não esteja em frente alguma piada ou graçola)

bons dias!!!

Teresa Durães disse...

li. deixo um beijo

Just an ordinary girl disse...

De acordo ctg em quase quase tudo.

Contente por estarem de volta!
Beijos e boa semana.

vida de vidro disse...

A gritaria da pretalhada? Pois, por muita razão que tenhas (nalgumas coisas) essa "pequena frase" retira-a toda. Digo eu, claro. **