sábado, 17 de fevereiro de 2007


A pedra. O corpo, o abismo. A dor. A carne, sofrimento. Passo ao longo das ruas sepultadas na ruína dos dias, incertos como nós, impiedosos e sôfregos como as palavras onde pernoitamos medos. Aí, onde com o vento que chega rente ao mar levantamos uma qualquer respiração em boca suja de sangue. Turn on the bright lights, os Interpol, ainda, e que se levante o fogo por entre a desolação precária onde te procuro reinventar. Entre feridas que só o aroma da terra cicatriza. Tudo o que as mãos, envelhecidas, apagam e sabem esquecer. Mais do que o amor, a sabedoria de quem sabe a memória ser um amontoado de cansaços e insónias. Um punhado de desilusões sobre o papel. Sobre o corpo. Sobre a pedra.

27 comentários:

alice disse...

boa tarde, poeta. que fiz eu para lhe merecer tão boas visitas? e ainda mais esta recompensa de tão belo post? "... palavras onde pernoitamos medos...". que inveja... adorava ser capaz de ter escrito isto. e mais citações poderia ainda fazer. um abraço. e muito obrigada. beijinhos ;)*

legivel disse...

... sobretudo, um bom fim-de-semana.

abraço.

Su disse...

belo escrito...sentido...vivido...

jocas maradas

Thunder disse...

Gostei muito deste texto poético.Gostei da mistura de sensações, principalmente nesta frase " Entre feridas que só o aroma da terra cicatriza.".Bom fim-de-semana.

Parrot disse...

Pr,
Um texto para ser lido em silêncio.

ABraço e bom fim de semana

Alisson da Hora disse...

lembrei-me que devo ouvir novamente interpol "and you go stabing yourself in the neck"(Obstacle 2)...
Belíssimo texto...

abraços

a.h.

Susana Barbosa disse...

Boa noite. Bom domingo!
Bjinhos

Teresa Durães disse...

gostei bastante do que li

beijos a ambos

boa nite

Alien8 disse...

Excelente texto, PR.
Um abraço.

Micas disse...

Gostei deste texto. Gostei ainda mais deste espaço no seu todo.
Voltarei, por certo.

Dresden é liindaa...

Bom domingo

Menina_marota disse...

"...Aí, onde com o vento que chega rente ao mar levantamos uma qualquer respiração em boca suja de sangue."

... e tantas bocas sujas de sangue...

Um abraço e grata pela imensidão destas palavras.

vida de vidro disse...

Um texto excelente. Dark enough... mas também, porque não? **

kurika disse...

Lindo.
Penetrante.

Bjs e bom resto de domingo

sonia r. disse...

Eu assisto ao nascimento destes textos e sei bem como existe luz na sua escuridão.
Um beijinho.

PR disse...

Um texto é ( só ) um texto. Um rabiscar, alinhar de ideias. Diria uma Amiga, catarse. Apenas isso. Sai o que sai e despeja-se o que vai, claro ou escuro, nunca pensei nisso, cá dentro. Longe, muito longe da laboração poética. Ou do que será essa coisa. Eu rabisco linhas e ideias. E chega. Sem falsas modéstias ou construções muito complicadas. Haja um cigarro, um café, uma canção a martelar cá dentro. O blogue vai desacelarar um bocado, se calhar, eu e a Sónia andamos atrapalhados de tempo, o Bernardo no fim do mundo, e esperemos que quem teve de sair por paragem técnica ( nossa ) possa ou queira postar de novo. Mas estamos por cá. Boa semana, beijos e abraços K'mrds.

as velas ardem ate ao fim disse...

Entre feridas que só o aroma da terra cicatriza. Tudo o que as mãos, envelhecidas, apagam e sabem esquecer.

Não comento um texto genial como este.Lindo!

bjoas

Susana Barbosa disse...

Boa noite!
Beijinhos

poca disse...

a diferença entre um texto e outro texto é a verdade nele contida... e a transparência com que se conjugam palavras para transmitir o que se sente... o que se quer..
tu tens uma escrita muito tua..
gosto.
beijinho e boa noite

chuvamiuda disse...

...............


Boa semana

Um Poema disse...

"Um punhado de desilusões..."
Talvez, mas também...

Um abraço

tb disse...

Sim as ruínas do tempo corroendo tudo...
Abraço

sea disse...

estou em modo, meio off, 4ª voltarei em grande estilo :D:D:D

beijos a todos

Alien8 disse...

Boa terça-feira!
Um abraço.

Just an ordinary girl disse...

"Mais do que o amor, a sabedoria de quem sabe a memória ser um amontoado de cansaços e insónias"
Adorei.

Beijinhos, para todos. Tenho andado um pouco afastada da net, mas sempre que ligo meu, pc eu venho aqui.

Rosario Andrade disse...

Bom dia!!!!!
...bem sei, tenho andado ausente. Por vias... (por vias... lembrei-me agora, também se diz no resto do pais, ou só em Carcao... ja nao sei bem)... por vias das confusoes em que me meto. Daquelas que tomam o tempo todo, mesmo aquele que nao tenho. Um dia destes conto!...
Sempre um prazer enorme ler-te. Apesar da dor.

Bjicos

deep disse...

Não é apenas um texto para se ler em silêncio... é o próprio silêncio, em palavras.

Cheguei aqui por um labirinto.

Boa tarde.

Opintas/Bernardo disse...

Genial e calo-me.