quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Clarificações. Onde estou. Onde estamos. Onde está este blogue.

Na causa Nacionalista, certamente. Onde a reflexão política ideológica parte sempre do conceito de Raça, Sangue e Solo. Revolucionário, também. Um blogue que faz do combate ao Capital e da defesa do Trabalho prioridades que estão para lá da Esquerda e da Direita. Mas que nem por isso esquece o seu posicionamento. Ou sequer os seus inimigos: o liberalismo, a (pós)modernidade, a pretensa racionalidade irracional do políticamente correcto. Por isso o Combate. À Imigração, por exemplo, como às ditas causas fracturantes ou ao sionismo que parece tudo ir corroendo. Sim, sempre, a Pátria e a Família, a denúncia do colapso dos Valores da Tradição. A crítica permanente à marca judaico-sionista da democracia burguesa, do capitalismo global, nacional e cada vez mais transnacional, o femininismo, a produção artística degenerada, o controlo da imprensa, os clichés pseudo revolucionários e contestários que não escondem a trela da opinião do senso comum. Um blogue que diz não a falsos entendimentos, que sabe de forma clara quem é o Inimigo. Quem combatemos, quem nos combate. Onde sabemos do papel fundamental da luta de classes mas não ser ela o motor da História. Antes a raiz e a matriz étnica e racial. Por isso, num momento em que certos movimentos parecem estar a ser invadidos por um bloquismo negro, o Suck mantem-se fiel a princípios que vêm de longe. Evola, Von Schonerer, Von List, Guenon, por exemplo, entre tantos. Pronto para rupturas. Independente, como sempre foi. Sem tempo nem paciência para aturar o folclore das franjas de uma Direita tão ou mais ridícula que a outra Esquerda. Mais ou menos satânica, gótica, extremista ou coisa que o valha. Nunca tivemos nem teremos nada a ver com os ditos movimentos. Seja o caricato PNR ou a extrema dos Machado. A Revolução não se faz de braço dado com obscuridades que só envergonham o Movimento Revolucionário. Ou a vandalizar campas de cemitérios. Não alinhamos na promoção do Sistema a figuras pretensamente perseguidas que só fazem o jogo do Sistema e estão, como tal, a ser impulsionadas por ele. Mas não vamos ceder no fundamental e em caso algum adoptar, por falta de solidez e consistência ideológica, uma postura que esqueça os Valores fundamentais do Movimento Nacionalista e Revolucionário. Nem confundir-nos, no discurso e na prática, com uma certa esquerda caviar que nos enoja e repugna. Pelo Trabalho e pelos Trabalhadores. Ou seja: por Portugal.

10 comentários:

sonia r. disse...

Há que separar e clarificar águas a tempo. Pelos vistos vêm aí muitas implosões.
Vários Partidos e Movimentos a atravessar realmente uma grande crise.
Bjinho.

as velas ardem ate ao fim disse...

Por Portugal!

Flávio Gonçalves disse...

Infelizmente muitos nacionalistas ainda consideram que a luta de classes não é fundamental, e é. e agora mais que nunca, tamanha a crise que se aproxima (e que parcialmente já chegou).

Bloco Negro? Nada contra =)

sonia r. disse...

O problema da TIR, se calhar, mais do que um choque de gerações ou de históricos que vêm de 70 ( onde estão o PR e o R. por acaso ) neste momento será esse.
Uma postura ideológica confusa de alguns e pouco consistente que arrisca a continuidade do Movimento.
A luta de classes não é REALMENTE fundamental. Pelo menos aqui. Mas sim a questão da IMIGRAÇÃO como escreveu o PR.A crise começa e passa por aí. A tentação marxista parece estar a poluir alguns.
Ou como escreveu o Vitor Ramalho o politicamente correcto.
Bloco Negro sim enquanto frente de Combate e nunca a repetição em novos folclores do bloquismo.
Isso nunca e nunca aqui Flávio.

Opintas/Bernardo Kolbl disse...

Este subscrevo. TODO, carai!
Abraço.

Flávio Gonçalves disse...

Pronto, eu abandono o blogue. Se abandono a TIR, isso fica para a Convenção de Novembro.

Flávio Gonçalves disse...

"Onde sabemos do papel fundamental da luta de classes mas não ser ela o motor da História. "

Está no post. Mas vocês são família, que se entendam =)

sonia r. disse...

Fundamental mas no sentido de não ser o mais importante ou prioritário.

Thoth disse...

Também o deus subscreve!

Cumprimentos

MariaTuché disse...

É por isto mesmo que gosto de vos ler, a ti principalmente amigo PR, escreves o que queres e o que sentes.

Um beijos enormeeeee