terça-feira, 10 de julho de 2007

A presidência europeia portuguesa.

Foi ver, ontem, a pose e os tiques do engenheiro quando curto e sintético, seco, Gordon Brown o meteu na ordem. Na conferência de imprensa, a propósito do Mugabe. E vem aí o frenesim histérico do francês Sarko. E os gémeos polacos. Sucesso garantido.

5 comentários:

as velas ardem ate ao fim disse...

A presidencia desse palhaço engenheiro, uma ruina este seu reinado.


Melhor que isso só a figura do dito face aos campinos...


bjinhos

herético disse...

... o Sócrates saiu pela "direita baixa" em busca da "solução diplomática"... Gordon dixit...

Abraço

Belzebu disse...

Quer-me parecer que o Engenheirote, ainda vai levar muita porradinha durante a presidência!

Um abraço infernal!

sonia r. disse...

O novo ditador ficou gago...ehehe!!!!

A. João Soares disse...

Caro Opintas,
O tema deste post traduz uma situação angustiante. Repugna-me a ideia de o Primeiro-ministro ser vaiado em sucessivas ocasiões em que aparece em público em situações festivas, que deviam ser de gala.

Mas, há trinta anos, que andamos a ouvir que o povo é quem mais ordena, em que Mário Soares disse que temos o direito a manifestar a nossa indignação, em que o actual PR disse para não nos resignarmos. É só isso que está a passar-se. É o povo a mostrar o seu descontentamento. E, face a isso, o primeiro-ministro, em vez de moralizar a governação, ponto por ponto, zanga-se, evita as explicações, e o diálogo e «solta os cães», agora que não há pide, são estimulados os bufos, os delatores.

Há ministros que em público, em actos de governo dizem graçolas como o da Saúde, o da Economia, o das Obras Públicas, tendo este dito subtilmente que é «engenheiro formado pelo IST e inscrito na ordem»! Uma secretária de Estado teve a franqueza de em acto público referir-se à liberdade, dizendo que se pode dizer mal do governo dentro das nossas casas!

O Sr. PM tem boas intenções de desenvolver Portugal com reformas há muito necessárias, mas não se rodeou de uma equipa competente e capaz de levar a carta a Garcia. E não tem tido coragem de a renovar, talvez por teimosia, por arrogância ou por estar pressionado por alguma força oculta.
Que Deus proteja o nosso País.
Abraço