sábado, 26 de abril de 2008

O cinema e o teatro infantil são equiparáveis à pornografia.


Divulgado numa revista dos Tabligh Jamat, em Lisboa, 2004. Em círculos, todos falam do mesmo e ninguem ousa passar do acessório. Mesmo quem tem na gaveta informação para colocar muitas perguntas incómodas. Claro que isto não é fundamentalismo. É pregação "islâmica". Para retomar o poste de ontem do Bernardo, Ismael Lunnat foi um dos líderes da CIL. Aqui e hoje aqui.
O link que estava aqui em "artigo" com reproduções foi, parece, entretanto apagado, depois da ligação anterior. Esperemos que este ao menos fique.
Cliquem na primeira imagem.


9 comentários:

LiliS disse...

cá estou... não podia faltar ora essa!

bjus bjus

Beltenebros disse...

Numa laude a Zeinal Bava, curiosamente saída na semana em que se iria editar material sobre o empresário, a ser pago por empresários ligados à PT, o que nunca aconteceu, li:
O único erro apontado a Bava foi ter vendido incompreensilvente abaixo do preço real do mercado títulos como o Diário de Notícia e 24 horas, entre outros, a Joaquim Oliveira.
Curioso. Revista de 19/9/2007.

Mas haverá mais:
Como explicar a notícia tão fraquinha do Correio da Manhã, hoje, com o material que teóricamente pagaram tão mal a um investigador no terreno?

No Público ainda se percebia. Sai sempre em defesa da CIL.

Camaradas PR e Bernardo:
Avisem que os vossos dossiers estão bem copiados e entregues nas embaixadas correctas.

De uma forma ou outra as dívidas pagam-se sempre.

Belo e urgente post. É pouco, ainda. Mas revela bem a informação a que alguns acham termos direito.

Abraço solidário.

Bernardo Kolbl disse...

Eu pouco sei. Só vim deixar um abraço ao António. E ao João, claro.
As bombas têm o seu tempo.
Logo que não matem, silenciem ou roubem de novo o PR, feliz e contente.

PintoRibeiro disse...

Centrem a discussão no essencial e sem fulanizar, preferencialmente.
Nada me move nem a este blogue contra quem não conhecemos, como o Dr. Bava.
Temos como gente de bem o Dr. Vakil ou Yiossuf Adamgy.
Passamos por cima de um Munir.
O que está ou deverá estar em causa é o problema real do fundamentalismo islâmico, das suas organizações, das suas movimentações num Portugal "santuário" e nas suas ligações no nosso território de grupos e elementos extremistas e terroristas.
Pior: a recusa constante, do Poder a alguma comunicação social, em encarar de facto uma realidade do Islão que se pretende esconder e camuflar.
Ou, pior, ouvir alguem que deveria ou parece que é responsável, afirmar que os Tablighs não são fundamentalistas.
Só. E já não é pouco. Em especial quando se ouve na "rua" estar um atentado na Europa em andamento. Diz-se. E o problema é esse.

Caturo disse...

Apenas um? Só no Reino Unido, são uma data deles...

Bernardo Kolbl disse...

E a responsabilidade moral?
Não será o presidente dos gajos cúmplice de facto da situação?
A ser assim, é pessoa de bem?
Duvido, carai.

Carai: é giro. Os gaijos do CdaManhã "comeram" o meu comentário...eheheheh...ser primo do PR só me dá chatices.

Bernardo Kolbl disse...

Caturo:
Os dados que temos, que não parece mas também temos, apontam a breve prazo para um.
Com alvos já escolhidos. Por questões logísticas e de segurança a dúvida resumia-se a ser em Itália ou ter mesmo que ser cá.
Mesmo sendo o nosso um País de acolhimento.

Abraço.

Bernardo Kolbl disse...

( O Correio da Manhã, melhor que os outros devia saber isso...eheheheheh...mas até me censuraram, carai! )

Caturo disse...

Bernardo, e parece que Abdul Vakil, líder vitalício da Mesquita Central de Lisboa, está especialmente ligado a essa gente...

http://gladio.blogspot.com/2008/01/h-indcios-de-que-comunidade-islmica-de.html

E este artigo foi baseado num artigo do Correio da Manhã.