segunda-feira, 21 de abril de 2008

O problema da Censura, se a é, está em que começando não se sabe como e onde acaba.


"Aviso sobre conteúdos
Alguns dos leitores deste blogue contactaram o Google porque acham que o conteúdo do mesmo é reprovável. Regra geral, o Google não avalia nem subscreve o conteúdo deste ou de qualquer outro blogue. Para mais informações sobre as nossas políticas relacionadas com os conteúdos, visite a página dos Termos do serviço do Blogger.
Compreendo e pretendo continuar
Não pretendo continuar "



A propósito de um comentário do Arrebenta na caixa de baixo. A ler. Este aviso abre um blogue dele. Por mim, colaborei em tempos idos com eles e, por não me rever nos conteúdos do blogue e no rumo que seguia, simplesmente saí. Ao certo, só lê quem quer. Só visita quem quer. Quem por cá anda há muito conhece bem a merda e os merdosos que por aí circulam. Sou, de certeza, uma das maiores vítimas das canalhices da blogosfera obscura. Continua por aí muita gente que o pode atestar. São conhecidas as minhas opiniões sobre anónimos e nicks. Ou, assinaturas fantasma. É conhecido o que penso de 90% da blogosfera, onde o comentário raramente é argumento mas simples injúria, insulto ou difamação. Atravessamos tempos difíceis em que a (re)pressão é clara. Ainda não estamos na China, certamente. Para lá, parece, caminhamos. Escrevo com o meu nome. Tenho queixas contra terceiros que me prejudicaram e afectaram a vida pessoal, por via da blogosfera, na Polícia. Sem consequências, parece, até agora. Eu, como todos os que aqui andam, se andamos à chuva podemos ter de nos molhar. Ao certo, ainda, fica a discussão, que parece simples: recusando a Censura exige-se o fim da impunidade e a criminalização da demência declarada de muitos. Algo em que estaremos todos de acordo, penso: quem escreve tem de assumir o que assina. A net tem de ter regras. Um código de conduta? Um B.I. virtual? É preciso, sejamos claros e honestos, fazer responder criminalmente quem o merecer. Em benefício de todos os que não confundem a blogosfera com chats de engates, putanhice e pornografia mais ou menos artística. Complicado. Sem soluções aparentemente fáceis nem diktats oportunistas, que aproveitam aos mesmos de sempre e deixam o essencial ser engolido pelo acessório. Eu sei. Mas a exigir uma reflexão.



13 comentários:

Nero disse...

Só faz sentido pensar a Blogosfera enquanto espaço de Liberdade numa reflexão mais alargada do que é e como é ou deveria ser, hoje, a Democracia.
Pega nisso.
O caso em concreto não merece atenção especial a não ser nesse aspecto.
São lixo, esterco rasca.
Mesmo querendo evitar o que denuncias.
O tom insultuoso.
Abraço.

Beltenebros disse...

A partir do Saavedra só direi que existem direitos fundamentais e direitos legais, ou seja, os do Estado.
Os primeiros, como a própria Democracia, assentam num postulado Ético que muitas vezes antagoniza o próprio Estado de direito.
A dificuldade reside precisamente em manter o critério Ético na cultura de massas, na Democracia enquanto liberdade de consumo num supermercado político.
(Penso que estou a citar Touraine).
A blogosfera não pode ser alheia ao normativo Ético.
Como tal a Censura fará sentido em muitos casos, podendo amanhã apanhar um de nós.
Mas é uma exigência em nome da Liberdade.
Aliás quem com ferro mata com ferros morre.
Estes não são mártires de nada e nada disto tem comparação com o que sepassou por exemplo com o blogue Portugal Profundo.
Um abraço.
( Usamos nicks aqui porque o Sérgio nos conhece ).

Silvério disse...

Eu não vou nisso de assinar com o nome, que me desculpem os que pensam diferente, mas acho que isso é uma politiquice que não adiciona nada ao debate de ideias, e acima de tudo tem como principal função garantir o controlo dos "sistemas", sejam eles quais forem, sobre quem fala.

Bernardo Kolbl disse...

Tudo isto é triste, tudo isto é "Fado", carai!
Chamem o Lobo...eheheheheh...o que diziam por lá que assaltava mails e pc's dos colegas de blogue...eheheheheh...
Zangam-se as comadres.

Daniela F. disse...

Ó, ó. Isto vindo de quem, nos seus tempos do Kombate, destribuía insultos a torto e a direito, realmente, dá que pensar.

PS- Quanto ao outro, quem não o conhecer que o compre.

PintoRibeiro disse...

Insultar?
O português é engraçado...
Eu nunca insulto: digo cara a cara o que penso. Das coisas e das pessoas. No Combate como aqui.
Por algum motivo larguei blogues e recuso visitar outros. Ou publicar e ter mo meu a simples assinatura de alguns que aí andam.
Como quererá que eu classifique um canalha?
O que Você considera um insulto, o gratuito, nunca mo deve ter visto escrever.
Mas numa coisa está certa: topo um merdoso e digo-lho de frente. Não como insulto. Mas constatação. Não por acaso.
Também não confundo um asno com alguem inteligente e, bem à portuguesa, com um sorriso nas trombas, penso-o mas afirmo o contrário.
Muitas vezes o problema é não saber ou conseguir perceber ou entender o insulto, que ao contrário do que diz nunca me interessou, da crítica ou do ataque. Pruridos tugas ou meras inteligências limitadas.

PintoRibeiro disse...

Sem contar naturalmente que DE CERTEZA nunca me viu ser rasca, putanheiro, ordinário ou andar no engate...

PintoRibeiro disse...

...ou vir aqui com uma assinatura de 2006 sem acesso a blogue. Se o tem, direi que Você é cobarde. Se o tem. Estarei de facto a ser insultuoso ou a constatar um facto?

Daniela F. disse...

Ó, ó, constate os factos que quiser, nem foi você quem chamou f da p ao Pacheco Pereira, pois não? Quanto ao que pensa de mim, olhe, desengane-se, o Pinto não faz o meu género.

Trureloo,

Daniela

PintoRibeiro disse...

Coisa que por sinal pouco me interessa. O que Você pensa de mim ou qual é o seu género.
Ao certo acampou aqui, pelos vistos. E segue-me desde o Kombate. A ser assim, fixações. Esquizofrenias.
Que saiba não a devo conhecer.
O JPP será de certeza o " seu género ".
Um arrivista. Um oportunista. Uma herança da escória cavaquista.
Chamei-lhe fdputa? As minhas desculpas à mãe do dito.
Sobre ele nada altero.
Sobre si, adiante.
De concreto nada disse, a nada respondeu.
Dê o nome, mostre o seu berloque, dê a cara.
Ou, melhor. Siga que para si nem tempo nem espaço.
Este não é mesmo o berloque dos outros e não vou mesmo entrar no seu jogo. É velho. Não aprecio.
Como sabe, sendo leitora do Kombate e deste deverá saber que o que norteia estes blogues são ideias.
Do Pacheco não aprecio o conteúdo.
De si não gosto da pessoa.
Adiante, pois.

Nero disse...

Encerra uma discussão inútil, Camarada.
Essa fulana, ao que dizem, parou também no dito blogue que por acaso desconhecia e desvirtuou todo o debate que se pretendeu lançar.
Reflectir a Blogosfera. É má fé ou estupidez.
Não quer perceber o que se pretendia indo, por acaso, ao encontro de um comentário de um tal Arrebenta que não conheço e face a uma situação a que Vocês eram e são totalmente alheios.
O Kombate conheci.
Essa Senhora não deve saber o que foi o spartakismo alemão e muito menos deve ter luzes sobre o situacionismo.
Sobre um diálogo Ético que as questões que este mundo virtual tem trazido nada disse.
Normal.
O JPP, homem público e político é um filho da "puta"? Provável. Opinião certamente da maioria do País.
O resto é fogo de artifício.
Essa Senhora se calhar sabe mas faz de conta que não sabe e como tu não falas Sérgio, adianto:
O PR, desde o Cavaco e o Porco Latino, teve blogues assaltados, apagados, assinaturas roubadas, contas bancárias roubadas via net.
Vá por exemplo ao fim do primeiro Suck. Tem o link lá em cima.
Um exemplo entre muitos.
Tem queixas segundo refere no post na Polícia, incluindo a entrega de um disco rígido.
E mais, claro, muito mais.
Ninguem pessoalizou a discussão ou tomou partido por nada nem ninguem. Mas os amigos do PR sabem porque motivo ele lançou as pontas possíveis de uma reflexão.
É de crime o que se procurou abordar e falar. Se o é.
Ou sobre o que é ou não censura.
O que e como fazer.
Incomoda-a está visto.
A Senhora está muito eriçada parece para reflectir ou trazer algo apropriado a uma reflexão alargada.
Aquele blogue e a situação que vive foi um pretexto que foi oferecido. Não o procuraram aqui. Nehum de nós tem a ver com ele.
Nem eu que pouco comento mas que Você conseguiu irritar, confesso, com a sua boçalidade.
Muito menos certamente o PR ou o Bernardo.
Peço-te um favor Bernardo. Não estraguem bons temas com pessoas destas.
É para isso que Vocês têm moderação de comentários. Usem-no.
Um abraço solidário.

PintoRibeiro disse...

Pronto. Recebido e feito.
Naturalmente que naqueles termos o assunto, já o disse, está encerrado.
Cinco minutos de fama e já foi tempo de antena a mais.
Vemo-nos amanhã.
Abraço,

PintoRibeiro disse...

Tens realmente dificuldade em perceber.
Time out. O teu. Daniela. Se o fores.
A poucos servirá o blogue mas tu agora não querias outra coisa. Pois.
Assim como assim, ficas à porta. Precisamente por nada valermos, ( o contador está lá nem faz 2 meses, faz as contas, pois... ), por insistires em mais do mesmo, por só apreciarmos gente de bem e com um mínimo de inteligência.
És curta. Não insistas. Ciao!
Adeus ó Moça.